Foto - Via Avianca

A Avianca Brasil conseguiu novamente a suspensão da reintegração de posse de parte das aeronaves, válida pelos próximos 18 dias. O pedido foi concedido pelo juiz Tiago Henrique Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais.

O processo incluía 20 aviões que estão operando na frota da Avianca Brasil, todos com o leasing atrasado. Envolvendo a Aircastle e a GECAS, que são responsáveis por fazer o leasing de mais de 40% da frota de aviões da Avianca Brasil, o processo foi novamente adiado apesar da justiça não ter explicado se a companhia aérea cumpriu a determinação de pagamento da parcela de leasing, referente ao mês de fevereiro.

Ontem, a Justiça aceitou o pedido do SNA (Sindicato Nacional dos Aeronautas) para ingressar na ação de recuperação judicial da companhia como parte interessada.

O juiz vai esperar um plano da companhia para a sua reestruturação, que deve ser apresentado até o final do mês. A Avianca Brasil está em regime de Recuperação Judicial desde o dia 10 de dezembro.

A companhia entrou ontem com um pedido para adiar a audiência de hoje, enquanto tenta conseguir um empréstimo.

A Avianca Brasil tem conversado com a Elliott para obter crédito por hedge funds, que prevê um empréstimo de 250 milhões de reais, disseram as fontes ouvidas pela Agência Reuters. Um acordo ainda não foi alcançado, e as empresas de leasing não foram pagas, acrescentaram as fontes, que pediram anonimato.

Cerca de 140 funcionários já foram demitidos no início de janeiro, e a companhia abriu um “Programa de Demissão Voluntária” que envolve outros 600 funcionários.