A justiça de São Paulo voltou a negar, na última terça-feira (05/02), um pedido dos credores da Avianca Brasil para a retirada de aeronaves da frota da companhia, devido ao atraso no pagamento do leasing.

O pedido foi julgado em segunda instância e emitido pelo desembargador Grava Brazil, ele é relator do caso e trabalha na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo.

“A tutela de urgência será concedida quando houver elementos que evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo”, escreveu Grava Brazil.

Grava Brazil, no entanto solicitou que a Avianca retome o pagamento do leasing a partir deste mês, para provar que a manutenção das aeronaves na sua frota possibilita uma continuidade da operação da empresa.

As empresas do Constitution Aircraft Leasing ainda podem, no entanto, solicitar novamente a retomada das aeronaves, mas agora precisa esperar a troca de desembargador no caso.