KC-46 EUA
Foto: U.S. Air Force/ Airman Brenden Beezley

A Força Aérea dos Estados Unidos conseguiu mais um avanço com o avião-tanque KC-46A. A aeronave realizou sua missão com tempo recorde de duração, ao ficar no ar durante 24,2 horas, sem pausas em solo para reabastecer.

A missão foi realizada pela 22ª Ala de Reabastecimento Aéreo, a partir da Base Aérea de McConnell, no Kansas, e a Força Aérea dos EUA considera o voo de maior duração da história do Comando de Mobilidade Aérea. Toda a operação ocorreu entre os dias 05 a 06 de maio deste ano.

Foto: U.S. Air Force/ Airman Brenden Beezley

Para cumprir um voo com tanto tempo de voo, os militares separaram seis pilotos, três mecânicos de voo (que operam a lança de reabastecimento), um médico e um fotojornalista para documentar o momento. Uma programação por turnos rotativos foi realizada com consulta de médicos e um software especial, para evitar a fadiga da tripulação após tanto tempo no ar.

Durante as 24 horas de voo, o KC-46A realizou contatos secos de reabastecimento com outro KC-46, reabasteceu quatro caças F-35 e foi reabastecido por outro KC-46.

Foto: U.S. Air Force/ Airman Brenden Beezley

O avião voou ao longo de ambas as fronteiras internacionais dos EUA, bem como ao longo da maior parte de ambas as costas antes de finalmente pousar de volta em McConnell, viajando mais de 14500 quilômetros.

Os dados coletados serão usados ​​para determinar a viabilidade, limitações, riscos potenciais, bem como benefícios exclusivos do KC-46 para voos de longa duração. A USAF também ganha experiência em missões de longuíssima duração, algo que pode surgir ocasionalmente em um combate real.

Foto: U.S. Air Force/Airman Brenden Beezley

A Escala de Sonolência Karolinska, um questionário detalhado sobre os níveis atuais de fadiga dos membros da tripulação, foi respondido pela tripulação durante todo o voo em conjunto com o teste Psychomotor Vigilance Task, desenvolvido pela NASA e que monitora os níveis de fadiga medindo a função cognitiva em comparação com uma linha de base pré-voo.

 

Via: Força Aérea dos Estados Unidos/Comando de Mobilidade Aérea