Foto - KLM/Divulgação

A crise no Aeroporto de Schiphol, em Amsterdã, que envolve uma falta generalizada de funcionários de solo, causou mais uma alteração no planejamento da KLM.

A companhia holandesa declarou nos últimos dias que não conseguirá operar cerca de 20 voos diários para destinos na Europa. As operações de agosto, outro mês de alta temporada, também serão afetadas em uma média de 10 a 20 voos cancelados diariamente.

Esse impacto adicional na operação da companhia é devido a uma falta de interesse de candidatos nos cargos ofertados, para preencher a falta de funcionários em solo e voo. Há milhares de vagas de emprego disponíveis em toda a Europa, contudo, muitas não foram preenchidas.

“A pressão de trabalho no aeroporto é atualmente implacável, já que Schiphol e KLM enfrentam escassez de funcionários. As medidas da KLM visam restaurar a estabilidade operacional, aliviando assim a pressão sobre os funcionários de Schiphol e KLM”, disse a companhia aérea em nota oficial.

Os passageiros afetados serão reacomodados em outros voos da companhia aérea, e a promessa é que nenhuma pessoa devido aos problemas operacionais. 

Assim como no Reino Unido, a KLM também enfrentou problemas ao longo das últimas semanas com falta de aeroviários e até mesmo greves destes.