KLM testa nova tecnologia para taxiamento e pushback de aeronaves

A KLM se tornou a mais recente companhia aérea a testar um novo procedimento de pushback dos seus aviões, com o novo TaxiBot. 

Em 27 de maio, a companhia aérea anunciou que havia começado a realizar testes com um Boeing 737 no Aeroporto Schiphol de Amsterdã. A KLM planeja usar essa tecnologia sustentável para reduzir suas emissões de CO2 em 15% comparando aos níveis de 2005.

Na quarta-feira, ele usou um veículo de reboque híbrido, o TaxiBot, para manobrar um Boeing 737 vazio para a pista. Embora possa não parecer tão significativo, é esperado que este teste prove que o TaxiBot pode reduzir as emissões de carbono no pushback das aeroanves entre 50 e 85%.

A tecnologia foi entregue no Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, em março de 2020, e a companhia aérea turca de lazer Corendon Airlines foi a primeira a testá-la em abril. A KLM agora está realizando seus próprios testes com a tecnologia antes de repassá-la à sua subsidiária Transavia.

“É importante descobrir até onde podemos reduzir as emissões de CO2 usando o Taxibot. Também gostaríamos de saber quanto tempo leva para taxiar com o Taxibot, que efeito isso tem na manutenção de motores de aeronaves e como podemos introduzir um táxi sustentável com Taxibots em larga escala nas operações diárias de Schiphol”, disse a KLM em comunicado.

Foto: KLM

Movendo-se a uma velocidade de 23 nós (cerca de 40km/h), o TaxiBot não compromete a velocidade ou a eficiência operacional, e permite ao piloto o controle a partir do cockpit.

Além disso, o TaxiBot preserva o ciclo de vida do trem de pouso dianteiro e reduz a poluição sonora.


 

DEIXE UMA RESPOSTA