LAM Embraer
Foto: Divulgação

A LAM, conhecida como Linhas Aéreas de Moçambique, está aposentando os seus aviões da Embraer. De acordo com a companhia, a decisão foi para diminuir os custos com a sua frota de aviões, simplificando a mesma.

A companhia aérea estatal vai tentar realizar a venda dos seus dois aviões Embraer E190AR, que estão equipados com 94 assentos. Complicado para a companhia, no entanto, será conseguir clientes para o E-Jet, devido a grande oferta de aviões usados no mercado.

A operação ideal da companhia, de acordo com o administrador do Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE), Raimundo Matule, é operar com somente dois modelos de aviões.

Por este motivo, a LAM continuará com as suas duas aeronaves 737-700, juntamente com dois aviões Dash 8-400, que serão utilizados em destinos regionais, onde o 737 não consegue operar pelas limitações de infraestrutura.

A empresa espera principalmente reduzir o custo de manutenção da sua frota de aeronaves, ao simplificar a quantidade de fabricantes.

Curiosamente foi com um Embraer E190, entregue pela fabricante brasileira à LAM, que um acidente ocorreu em 2013. A aeronave de matrícula C9-EMC estava operando o Voo 470, de Maputo para Luanda, no dia 29 de novembro de 2013, quando o comandante do avião se trancou no cockpit e jogou o avião no chão intencionalmente, no Parque Nacional Bwabwata, na Namíbia.

O suicídio do piloto durante o voo resultou em 33 mortes.