LATAM abandona plano de joint-venture com a British Airways e Iberia

LATAM

Alinhada com a Delta Airlines, após um acordo entre as duas empresas que envolve até a “venda” de ações, o Grupo LATAM Airlines declarou que não vai prosseguir com seu planejamento para estabelecer uma aliança com o Grupo IAG, da British Airways e Iberia.

A joint-venture foi anunciada em janeiro de 2016, quase que conjuntamente com a perspectiva da companhia de desenvolver uma joint-venture com a American Airlines, todas companhias da Aliança Oneworld.

Os acordos de compartilhamento de voo, acordos de codeshare, contratos de acesso a salas VIP e programa de passageiros frequentes entre as companhias aéreas continuam válidos, diz o comunicado.

“O Grupo IAG e a LATAM Airlines decidiram que não implementarão o acordo comercial conjunto anunciado ou JBA [contrato comercial conjunto]”, declara a companhia aérea em um documento regulatório.

A decisão da LATAM de deixar a Oneworld ocorreu depois que a Delta Air Lines anunciou em setembro que investirá US$ 1,9 bilhão na LATAM, representando uma participação de 20% na empresa.

No início desta semana, a LATAM finalizou o novo contrato de codeshare com a Delta, que fará com que a companhia aérea encerre sua joint venture com a American Airlines em 31 de janeiro de 2020.

 

Em nota a LATAM disse:


O Grupo LATAM Airlines e o International Airlines Group (IAG), a companhia matriz da British Airways e da Iberia, decidiram não implementar o seu acordo comercial (joint business agreement; “JBA” na sigla em inglês). A decisão foi tomada por razões comerciais, além de mudanças no contexto do setor aéreo desde que o JBA foi anunciado em janeiro de 2016.

Ambos os grupos de companhias aéreas estão comprometidos em manter o seu relacionamento de longo prazo, além de seguir atendendo os clientes de ambos os lados do Atlântico. Todos os seus acordos de interline, codeshare, acesso às salas VIP e de programas de passageiro frequente permanecerão vigentes, sem impacto para os clientes.

A LATAM informou as autoridades competentes de livre concorrência sobre esta decisão.

 

Via – FlightGlobal

DEIXE UMA RESPOSTA