Grupo LATAM
Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

Apesar de um primeiro trimestre desafiador após o surgimento da variante Ômicron do Covid-19 e o aumento dramático nos preços do combustível, a LATAM continuou apresentando melhor desempenho operacional e redução em seu CASK (custo por ASK) ex-fuel.

No período, a capacidade consolidada do grupo (medida em ASK) atingiu 68,2% dos níveis de 2019 e teve um aumento de 89,7% em relação ao mesmo trimestre de 2021, resultado impulsionado principalmente pelas operações domésticas das afiliadas.

As receitas totais chegaram a US$ 1,9 bilhão no período, 22,4% abaixo dos níveis de 2019, mas tiveram um aumento de 114,5% em relação ao primeiro trimestre de 2021. Enquanto as receitas de passageiros reduziram em 31,4% com relação a 2019 (+199,1% vs 1T21), as operações das afiliadas de carga da LATAM mantiveram um sólido desempenho, com receitas de US$ 430,7 milhões, representando um aumento de 63,5% com relação ao mesmo período de 2019.

Os custos totais foram de US$ 2 bilhões, uma redução de 14,2% em relação a 2019. O CASK ex-fuel, particularmente, melhorou 6,8% em relação ao quarto trimestre do ano passado, passando de US$ 5,6 centavos para US$ 5,2 centavos – uma melhora de 29,3% em relação ao mesmo período de 2021. Esses resultados são explicados pelas medidas de redução de custos implementadas pelo grupo desde o início do processo de reorganização e que se traduzem em economias de mais de US$ 900 milhões por ano.

No entanto, durante o trimestre, houve um aumento significativo no preço médio do combustível, que chegou a US$ 3,25 por galão (excluindo hedges), um aumento de 75,8% em relação ao mesmo período do ano passado e de até 29,9% com relação ao quarto trimestre de 2021. Esse aumento se deve em grande parte ao conflito na Ucrnia.

O resultado operacional registrou prejuízo de US$ 138,2 milhões, enquanto o resultado final foi de prejuízo de US$ 380,1 milhões, comparado com um prejuízo líquido de US$ 60,1 milhões no mesmo período de 2019 e um prejuízo de US$ 430,9 milhões no primeiro trimestre do ano anterior.

Com relação ao Capítulo 11, em 6 de maio de 2022, a LATAM divulgou os resultados da votação para o seu Plano de Reorganização, que alcançou suporte suficiente de aproximadamente 82% em dólares e de aproximadamente 65% do número de eleitores credores das classes afetadas pelo Plano. Esses resultados não incluem os detentores de créditos RCF, que ainda têm até 10 de maio de 2022 para votar. Isso, após a aprovação pelo Tribunal dos EUA do Disclosure Statement em 21 de março de 2021, que permitiu que os Devedores iniciassem o processo de solicitação de votos. A Audiência de Confirmação do Plano está programada para ocorrer nos dias 17 e 18 de maio de 2022, conforme estabelecido pelo Tribunal dos EUA.

Via: LATAM