LATAM Airlines CEO Jerome Cadier
Foto: Silvia Costanti/Valor

A 7ª edição do Connected Smart Cities & Mobility e a 2ª edição do AirConnected – Transporte Aéreo Resiliente, Flexível e Tecnológico promete reunir atores renomados envolvidos nesses ecossistemas.

O evento terá formato híbrido e acontece, presencialmente, nos dias 01 e 02 no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, e de forma virtual nos dias 01, 02 e 03 com transmissão, ao vivo, via celular ou web por meio do aplicativo Attendify.

O CEO da LATAM Brasil, Jerome Cadier participou do evento nesta última quarta-feira (01), confira as principais declarações do executivo:

“Vamos ainda conviver com muita insegurança no mercado internacional até que as regras fiquem mais claras e as pessoas voltem a programar as suas viagens. Acredito muito na recuperação gradual desse mercado ao longo de 2022, uma vez que os Estados Unidos vão demorar ainda alguns meses para reabrirem a fronteira. Vejo também movimentos positivos na Europa, mas ainda sem muita força.”

“Por outro lado, temos um cenário interessante na nossa área de cargas. Apesar de estarmos transportando menos quilos, o faturamento está praticamente igual ao registrado antes da pandemia, o que ajudou a LATAM a navegar no período mais duro, quando o mercado doméstico foi fortemente impactado por conta da restrição de voos.”

“Já o mercado doméstico é extremamente animador e carrega a recuperação. Já recuperamos praticamente 80% da nossa oferta de assentos domésticos e devemos terminar 2021 com quase 100% em relação ao registrado no período pré-pandemia.”

 

Novo perfil de passageiro

“Por conta das mudanças dos motivos de viagens, a precificação tem que ser modificada e, até mesmo, algumas rotas recalculadas.  Por isso, nascem novos destinos para atender a uma nova demanda disposta a descobrir e a redescobrir o turismo brasileiro, já que temos um potencial fantástico.”

“Para voltar a competir de forma agressiva no Brasil, reforçamos nossa presença no Nordeste, lançando 5 novos destinos (Comandatuba e Vitória da Conquista na Bahia; Jericoacoara e Juazeiro do Norte no Ceará; e Petrolina em Pernambuco).”

 

Agenda ESG e compromissos ambientais

“A gente tem que reconhecer que a indústria aérea é uma das maiores poluidoras do mundo. Cerca de 3% dos gases de efeito estufa no mundo são produzidos pela aviação e isso precisa mudar.”

“Várias empresas do setor já estabeleceram compromissos ao longo dos próximos anos, com soluções muito mais eficientes. O Grupo LATAM anunciou a modernização da frota para compra de aeronaves da família A320neo que possuem 20% mais eficiência no consumo de combustível, menor emissão de CO2, além de redução de 50% nas emissões de óxido de nitrogênio e de 50% em poluição sonora”

“Estabelecemos  na LATAM uma agenda brutal de compromissos para os próximos anos, com diversidade e inclusão. Entendemos que a empresa precisa ter um papel muito mais ativo na sociedade, não só no que diz respeito ao transporte aéreo.”

 

ICMS mais baixo e mais concorrência no preço do combustível

“É preciso especificar corretamente o combustível utilizado, além de reduzir e homogeneizar a carga de ICMS no Brasil, um tributo com custo muito caro que gera uma complexidade de gestão na empresa para abastecer em outros estados. Isso é ineficiente.  Outro aspecto importante é ter mais concorrência para o combustível, impactando em custos mais baixos e  preços mais competitivos para as companhias aéreas. O Brasil tem hoje o custo de combustível mais caro do mundo.”

 

 

Via: LATAM Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA