Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

LATAM

A LATAM Brasil decidiu simplificar a sua frota de aviões de dois corredores, e vai retirar os novíssimos Airbus A350 de operação.

Desta forma a divisão brasileira da LATAM contará apenas com os aviões Boeing 777 e 767 para a operação de voos de longa distância. Alguns aviões do modelo Boeing 767 já estão repassados para a LATAM Cargo Brasil, na operação de voos cargueiros.

O comunicado foi realizado na manhã desta quinta-feira (08/04) pelo próprio CEO da LATAM Brasil, Jerome Cadier, em carta oficial aos funcionários.

LATAM
A350 sendo rebocado para o hangar de manutenção da LATAM.

“Essa decisão, além de obtermos uma frota menor e mais homogênea, tem como objetivo uma operação widebody mais eficiente para atravessar esse período de menor demanda por assentos em nossa operação internacional”, disse Jerome Cadier, ressaltando que a retomada dos voos será longa e lenta.

Os aviões Airbus A350 foram originalmente encomendados pela TAM Brasil em 2006, ainda no início do projeto, quando a Airbus esperava fazer uma versão remotorizada do A330ceo.

Primeiro Airbus A350 (PR-XTA).

O primeiro A350-900 chegou em 2015 na frota, ainda nas cores da TAM Brasil. Ao todo, a companhia operou na unidade brasileira cerca de 16 aviões A350-900XWB ao longo dos últimos quase seis anos. Atualmente há 11 aviões ativos na frota, todos através de leasing.

A encomenda restante para 11 aviões da família A350 também foi cancelada anteriormente pela LATAM Brasil, que vai descontinuar as operações com a aeronave.

A LATAM Brasil, em sua frota de aviões widebody, opera agora com 13 aviões Boeing 767-300ER e 10 do modelo 777-300ER.

Nos últimos anos, com a alta demanda antes da pandemia, a LATAM Brasil estava conseguindo alocar todos os seus aviões widebody em voos internacionais, ganhando mercados relevantes que antes estavam na mão de outras companhias, ou não eram operados.

A companhia utilizou o Airbus A350 para transportar cargas durante a pandemia.

A divisão brasileira aproveitou sua frota composta por três aviões de tamanhos diferentes (767, A350-900 e 777), e iniciou voos para Lisboa e Tel Aviv, este último realizado pela divisão chilena com o B787. Além disso, outros destinos, como Miami, Orlando e Londres ganharam mais frequências de voos para atender a demanda.

Curiosamente esta também é a primeira vez que a TAM/LATAM Brasil deixa de operar com aviões widebody fabricados pela Airbus. O primeiro foi um A330-200, que a companhia aérea recebeu em 1998 com direito a uma apresentação no Aeroporto de Congonhas.

Em nota a companhia disse ao Portal Aeroflap:

A LATAM confirma que enviou aos seus colaboradores a comunicação a respeito da reestruturação de sua frota WideBody no Brasil.