A LATAM anunciou na última segunda-feira (20/08) uma demissão de mais de 1300 trabalhadores, que tinham como base os aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, e Galeão, no Rio de Janeiro.

De acordo com a empresa, essa é uma manobra para substituir suas operações em solo pela terceirização, através da empresa Orbital/WFS. Cerca de 1000 trabalhadores afetados estão baseados no Aeroporto de Guarulhos, e 350 no Galeão.

Os trabalhadores demitidos pela companhia eram dos setores de rampa e limpeza (ground handling), de gestão de equipamentos de solo (exceto aeronaves), e de atendimento a clientes com bagagens perdidas ou danificadas (lost luggage).

Uma denúncia da demissão em massa foi realizada pela CUT-SP e o Sindigru, apesar que a Orbital espera contratar um número semelhante de pessoas para manter as operações da LATAM nesses aeroportos, contudo o nível de salário dos trabalhadores não está garantido, já que a Orbital pode optar por um método diferente de pagamento de acordo com a função.

Confira a nota da Latam, enviada para a CUT-São Paulo:

A Latam Airlines Brasil informa que, a partir da primeira semana de setembro, toda a sua operação de rampa e limpeza (ground handling), gestão de equipamentos de solo (GSE) e atendimento a clientes com bagagens perdidas ou danificadas (Lost Luggage) no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e do Galeão, no Rio de Janeiro, passará a ser feita pela Orbital – WFS, empresa especialista nesta modalidade de serviços aeroportuários.

A Latam estabeleceu um sistema de gestão integrado com a Orbital – WFS para assegurar a eficiência e a manutenção da qualidade dos serviços prestados. A companhia também abriu um processo de negociação com os sindicatos envolvidos e não está medindo esforços para realocar internamente o maior número possível de pessoas. A medida não afeta outros aeroportos.