LATAM

O Grupo LATAM obteve mais uma vitória na Corte de Falências de Nova York. Nesta última terça-feira (08/02) o juiz James Garrity autorizou a exclusividade de análise do Plano de Recuperação Judicial da LATAM até o dia 07 de março.

Com essa decisão a companhia terá prioridade para negociar seu plano, apresentado em novembro e aprovado pela justiça no final de janeiro, com os credores e investidores da aérea. Em compensação, os planos alternativos como o proposto pela Azul, serão deixados de lado na avaliação judicial por enquanto.

Porém, a LATAM ainda aguarda para amanhã (10) uma autorização judicial envolvendo a validade do plano de recuperação judicial da companhia. O juiz James Garrity determinará até quando poderá ter esse plano sendo negociado no Chapter 11.

Dos US$ 8,19 bilhões divulgados pela LATAM, que a companhia planeja obter, cerca de aproximadamente US$ 1,37 bilhão são em Notas Conversíveis Tipo B, as Notas Tipo C totalizam US$ 6,81 bilhões.

Os credores da Evercore vão converter as dívidas da LATAM em US$ 3,2 bilhões de nota Tipo C em troca de um pagamento de 20% da dívida pela companhia. Já a Delta, Qatar Airways, Cueto Group e Eblen Group apoiarão totalmente as notas da Classe B.

Os credores estrangeiros podem receber 100 centavos por cada dólar de dívida quando o Capítulo 11 da LATAM terminar, enquanto os credores domésticos do Chile receberão apenas 20 centavos por dólar. Essa medida está desagradando alguns credores chilenos que, em minoria, se contrapõe ao Plano de Recuperação do Grupo LATAM.

Após a saída, a LATAM estima que deverá ter uma dívida total de aproximadamente US$ 7,26 bilhões e liquidez de aproximadamente US$ 2,67 bilhões.

A negociação do plano existente foi liderada pelas empresas de investimento Strategic Value Partners, Sculptor Capital Management e Sixth Street Partners. O plano obteve o apoio dos principais acionistas, incluindo Delta Air Lines Inc. e Qatar Airways.

 

Com informações de O Globo.

Texto por: Aeroflap