LATAM
Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

Os dados do transporte aéreo brasileiro divulgados nesta terça-feira, 3 de maio, pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) mostram crescimento de 99,9% na quantidade de passageiros pagos transportados no mercado doméstico em março deste ano (clique no link para acessar), na comparação com igual período de 2021.

No terceiro mês do ano, mais de 6,4 milhões de pessoas viajaram de avião em voos comerciais pelo país. Esse foi o 12º aumento consecutivo nesse indicador. Quando comparado com os números registrados em março de 2019, no período pré-pandemia, o dado é 16,8% menor.

A demanda de passageiros e a oferta por voos, aferidos em RPK (passageiros-quilômetros pagos transportados) e ASK (assentos-quilômetros ofertados), cresceram 98,7% e 66,9%, respectivamente, no mesmo período quando equiparados com igual mês do ano passado.

Já o transporte de carga e correio pago no mercado doméstico registrou aumento pelo 13º mês seguido, com alta de 13% no terceiro mês do ano, quando foram transportadas 36,3 mil toneladas. No entanto, todos esses indicadores aparecem com valor abaixo do total transportados três anos atrás (veja imagem acima).

No mercado doméstico, as empresas com maior participação de mercado, em termos de RPK, foram: LATAM (35,1%), GOL Linhas Aéreas (33,6%) e Azul Linhas Aéreas (30,9%).

Em fevereiro a LATAM fechou com 36,3% de participação de mercado, com a GOL logo em seguida registrando 35% de share, a Azul fechando a lista das principais com 28,1%.

A taxa de aproveitamento de assentos (ocupação das aeronaves) nos voos domésticos em março deste ano foi de 79,4%, alta de 19,1% na comparação com os números do ano passado, mas queda de 1,9% frente aos dados de 2019.

 

Mercado internacional

Assim como tem ocorrido nos últimos meses, no mercado internacional, o grande destaque tem sido o transporte de carga e correio pago, que vem registrando recordes de toneladas transportadas no modal aéreo. Os dados registrados em março deste ano foram os melhores para o mês desde o início da série histórica, iniciada em 2000.

Com 87,7 mil toneladas despachadas, o indicador registrou crescimento de 9,7% frente aos dados apurados no ano passado e 17,2% em relação aos números do período pré-pandemia. Foi o segundo maior volume transportado na aviação desde que os dados passaram a ser aferidos.

Com a abertura das fronteiras e a retomada do turismo, a demanda e a oferta no mercado internacional têm recuperado aos poucos os números registrados antes do período de pandemia. No mês de março, os indicadores subiram 446,4% e 115,7%, frente aos números apurados um ano atrás.

Todos os indicadores apresentados, bem como o histórico da base, estão disponíveis para consulta na página Relatório de Demanda e Oferta (clique no link para acessar).

 

Via: ANAC