LATAM

A LATAM irá realizar a partir desta segunda-feira (18/01), a pedido do Ministério da Saúde, por meio da VTCLOG e com o apoio da ABEAR (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), o transporte doméstico gratuito de 513 caixas – que equivalem a 15 toneladas de vacinas contra a Covid-19.

Com o aval da Anvisa para o início da vacinação na população brasileira, em reunião que aconteceu hoje (17), o Programa Avião Solidário da LATAM se prepara para seguir o Plano de Imunização do Governo Nacional.

Com base na experiência da companhia em diversas campanhas de vacinação e de acordo com o Plano Nacional de Imunização já realizado anteriormente, a LATAM tem, por meio de suas aeronaves da família Airbus A320, a capacidade de levar até 800.000 doses da vacina, considerando que este número pode variar de acordo com o tipo da vacina a ser transportada.

Para que seja possível realizar todo o trâmite de emissão e aceitação deste tipo de transporte, é necessário, no mínimo, 5 horas de antecedência para preparação do voo, principalmente se a embalagem conter gelo seco (que necessita de um processo de aceitação diferenciado) para manter as vacinas em temperaturas mais baixas.

A agilidade no transporte é fundamental não apenas pela importância da vacina, mas também para garantir a cadeia de frio.

Por meio das suas operações da LATAM Cargo, a companhia é a primeira aérea do continente americano e a única da América do Sul a obter a certificação CEIV Pharma, emitida pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo). Isso significa que a LATAM atende os mais altos padrões de qualidade para o transporte de produtos farmacêuticos com controle de temperatura.

Desde agosto, uma equipe com mais de 20 funcionários da LATAM Cargo tem planejado e adiantado os cenários para o transporte, levando em consideração o País e o destino, a infraestrutura dos aeroportos e a logística necessária para a preparação do transporte das vacinas.


Atualmente, a LATAM Cargo conta com 30 pontos de recebimento de insumos médicos em todo o mundo, incluindo Europa, Estados Unidos e Chile, além de outros quatro que pretende habilitar na China.

 

DEIXE UMA RESPOSTA