LATAM Airbus A350
Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

O Grupo LATAM está enfrentando um novo problema com seus credores no processo de Recuperação Judicial. A empresa está sendo agora acusada de dar privilégios para as acionistas Qatar Airways e Delta, em seus contratos de leasing de aeronaves com as mesmas.

De acordo com o protesto do comitê de credores, ao tribunal que está gerindo o Chapter 11 da companhia, esse benefício para as duas acionistas foi realizado poucos dias antes da companhia entrar em Recuperação Judicial.

Esse questionamento envolve o contrato de cinco aviões Airbus A350, que estavam subarrendados para a Qatar. Como publicamos em maio de 2020, a LATAM e a Qatar finalizaram esses contratos, e os aviões voltaram para a frota da LATAM.

Por outro lado, envolvendo a Delta Airlines, a companhia norte-americana tinha um contrato com a LATAM para subarrendar quatro aviões A350, que deveriam ser repassados ao longo de 2020 para a Delta.

Porém, o repasse dos aviões nunca chegou a ocorrer, e o negócio foi desfeito horas antes da LATAM entrar na recuperação judicial.

O ajuste desses contratos, envolvendo aviões Airbus A350, removeram as obrigações contratuais das duas companhias aéreas. Logo, o comprometimento das mesmas com o processo de Chapter 11 da LATAM.

Posteriormente, em 2021, a LATAM renegociou o contrato de leasing dos seus Airbus A350, e todos os aviões serão devolvidos ao lessor. 

A LATAM em nota confirmou indiretamente que realmente realizou negociações com a Delta e a Qatar, no entanto, a companhia diz que todos os documentos foram aprovados pela Justiça dos EUA. A companhia não confirma que essa decisão causou prejuízo aos credores e vantagem para as duas acionistas, como cita o protesto dos credores.

Esse questionamento pode nos tribunais dificultar a aprovação do plano de recuperação da LATAM pelos acionistas da mesma, e os credores terão maior poder de inserir no planejamento as suas propostas.

 

Com informações de O Globo e Diario Financiero.

DEIXE UMA RESPOSTA