Avianca Brasil
Aeronave da Avianca Brasil no Aeroporto de Guarulhos.

Neste próximo dia 31 de agosto acontecerá o encerramento do leilão de bens da Avianca Brasil (Oceanair), para pagar dívidas trabalhistas e com credores da empresa, que encerrou as suas operações em 2019, mas faliu em 2020.

Os lotes não arrematados serão leiloados novamente até o dia 13 de setembro deste ano, com uma diminuição de 50% no valor do lance inicial.

O leilão contará com mais de 1 milhão de itens da companhia divididos em 8 lotes, entre peças de aeronaves e outros itens utilizados na parte operacional. Todos são divididos em lotes, sendo o mais caro (e maior) avaliado em US$ 16 milhões, que inclui também o hangar da companhia no Aeroporto de Congonhas.

O leilão será realizado pelo Mega Leilões, e pode ser de muito interesse das companhias brasileiras, especialmente para a Itapemirim, que não tem hangar de manutenção ou equipamentos diversos de treinamento e manutenção de aeronaves, como a GOL e a Azul.

A meta da justiça é arrecadar pelo menos US$ 39 milhões, para custear o pagamento de dívidas trabalhistas, com clientes e também credores da Avianca Brasil. 

Curiosamente a Mega Leilões também participou do leilão fracassado das UPIs, que surgiu como uma opção para a Avianca Brasil continuar operando voos, enquanto vendia “suas partes” para concorrentes, como a Azul, GOL e LATAM.  Este leilão também não atinge o pagamento da totalidade da dívida da Avianca Brasil, cotada em R$ 2,7 bilhões, antes do encerramento das operações.

O leilão é dividido na justiça em três partes: Os bens localizados no Aeroporto de Congonhas; Em São José dos Campos, onde a companhia fazia também a manutenção das suas aeronaves; E nos demais aeroportos, como em Brasília, onde a empresa treinava tripulantes.

Você pode conferir o edital dos três leilões Clicando Aqui.

 

DEIXE UMA RESPOSTA