Foto: Lockheed Martin

A Lockheed Martin e a Mitsubishi Heavy Industries planejam encerrar a produção nas instalações da FO-35 em Nagoya, Japão, na semana de 9 a 13 de março, devido a temores de contágio por coronavírus, diz o site Flight Global.

O número de casos de coronavírus no Japão ultrapassou 1.000 em 4 de março, de acordo com a Organização Mundial de Saúde e os relatórios da mídia local. O país tem o quinto maior número de casos confirmados no mundo, atrás da China, Coréia do Sul, Itália e Irã.

Ainda de acordo com o site, a Itália tem cerca de 2.500 casos confirmados de coronavírus, mas a Lockheed Martin diz que a produção em sua instalação da FACO em Cameri continua, apesar de várias notícias dizendo que a produção parou. Cameri está na região da Lombardia, na Itália, que tem mais da metade dos casos confirmados de Covid-19 no país.

A empresa alertou os funcionários para evitar o norte da Itália, no entanto:

F-35B Marinha Militar Italiana

“Aconselhamos os funcionários a evitar viajar para, através e do norte da Itália, alinhados às orientações do Departamento de Estado dos EUA”, diz o documento.

Várias reportagens também disseram que a produção em Nagoya, no Japão, já havia parado, mas a Lockheed diz que planeja operar até a próxima semana.

“Muitas pessoas relataram que está fechado no momento”, diz a empresa. “Isso não é exato.”

A produção na linha de montagem da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas, não parou, diz o fabricante.

Caças F-35 Lightning II em voo de formação sobre a base de Edwards- Foto: Darin Russell, Lockheed Martin

A Lockheed Martin diz que planeja avaliar continuamente a situação no Japão em consulta com a Mitsubishi Heavy Industries, o Escritório Conjunto do Programa e as autoridades locais de saúde.

Atualmente, a empresa não espera que a interrupção do trabalho tenha impacto em seus planos de fornecer 140 exemplos do F-35 em 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA