Foto - Lockheed Martin/Divulgação

A Lockheed Martin anunciou recentemente a entrega do 300º caça F-35 de série, demonstrando um marco para o jovem programa de desenvolvimento de um dos poucos caças de 5ª geração do mundo.

O caça é um F-35A, o modelo mais convencional, e será operado pela Força Aérea dos Estados Unidos na Base Aérea de Hill, em Utah.

De acordo com dados disponibilizados pela Lockheed, dessas 300 unidades entregues cerca de 197 foram do modelo F-35A, o mais convencional e popular de todos, enquanto 75 unidades foram do modelo F-35B, com capacidade de pouso e decolagem na vertical (STOVL), e 28 da variante F-35C, adequada para uso em porta-aviões.

A fabricante ainda disse que no momento 620 pilotos estão treinados em todo o mundo para pilotar o F-35, e 5600 mecânicos garantem a operacionalidade do caça, que já operou 140 mil horas de voo no total.

Com esse volume de entregas a empresa conseguiu se acostumar com a produção da aeronave, e por isso já reduziu o preço do F-35A em 60%, comparando com o início da produção. A fabricante quer chegar ao preço final de comercialização de US$ 80 milhões até 2020, um bom valor para um caça como o F-35.

De acordo com a Lockheed Martin, esse menor valor foi conseguido através de uma automatização maior da produção, que diminuiu o tempo de produção em 20% e dispensou 75% da mão de obra em comparação com a linha de montagem de caças anteriores ao F-35.

Em 2018 a Lockheed vai finalizar com 91 caças do modelo F-35 entregues para vários países.