A Lockheed Martin irá migrar a linha de produção do caça F-16. Atualmente a produção do Flight Falcon é em Forth Worth, no Texas, mas passará a ser em Greenville, na Carolina do Sul (EUA).

Essa decisão foi tomada para não encerrar a linha de montagem do F-16 que por muito tempo demostrou ser um caça altamente eficaz, tanto na concepção em si da aeronave quanto no requisito de vendas. A mudança irá ser no fim desse ano após as entregas dos últimos F-16 para a Força Aérea Iraquiana, em setembro, afirmou Ken Ross porta-voz da Lockheed Martin Aeronautics.

O objetivo da mudança é para dar mais espaço para a construção do caça F-35 Lighting II. Para se tiver uma noção do qual a empresa norte americano investe no F-35 é o número de funcionários empregados para a construção do caça cerca de 8 mil trabalham no F-35 contra 200 no F-16 Flight Falcon, existe ainda a possibilidade que os funcionários que trabalham no F-16 venham a trabalhar no Lighting II.

Ao longo do programa do F-16 Falcon, a Lockheed entregou 4500 caças, sendo que desses 3600 foram construídos em Forth Worth. A mudança para a fabrica na Carolina do Sul está ligada também a parada nos pedidos para o caça, tanto que o último cliente é o Iraque.

Dois são os principais motivos pra a mudança da linha de produção do Falcon, a primeira como já foi dita é dar mais espaço para a construção do F-35, onde a Lockheed está com grande investimento no projeto do caça. Já a segunda se dá pelo fato da unidade de Greenville também ser o local de construção do T-50A caso esse ganhe o programa T-X. Com isso poderá construir dois modelos de aeronaves militares em um mesmo local.

Porém o governo Trump disse que irá examinar qualquer negócio que leve empregos para o exterior. Um deles é a proposta em negociação da Lockheed Martin com o governo da Índia em construir o caça norte americano no país asiático. Apesar da “vista grande” do governo Trump, a empresa Lockheed Martin diz que o F-16 é o caça certo para a força aérea indiana.