Caçass F-35B e um da e um F-35A em segundo plano Foto: U.s Airforce

O faturamento da Northrop Grumman registrou um aumento de 7% no faturamento do primeiro trimestre de 2019, para cerca de US$ 3,5 bilhões, este alto valor tem uma explicação o F-35, que é um grande impulso.

A Northrop Grumman, entrou no programa F-35 para a construção da fuselagem do caça. Vale ressaltar que a empresa que carro feche do caça é a também norte-americana, Lockheed Martin, mas existe essa abertura de demais empresas participarem da produção do caça, bem como a produção do caça em países aliados aos EUA, como o Japão por exemplo.

“Acredito que seja nosso maior programa, na faixa de 9% a 10% das vendas”, afirma Ken Bedingfield, vice-presidente corporativo e diretor financeiro. “Nós vemos o crescimento do F-35 que afeta todos os quatro setores“.

Futuro bombardeiro estratégico dos EUA., B-21. Arte- USAF

Mas existem outras formas de faturamento e estas são de fato só da Northrop Grumman, como o caso do bombardeiros furtivo e estratégico B-21 que está em desenvolvimento mas já despertou um grande interesse da USAF.

O míssil O AARGM-ER, também entra para somar valores.

” O armamento será inicialmente implementado em Super Hornets e Growlers F / A-18. Será também o primeiro míssil supersônico de longo alcance a ser integrado ao F-35. E espera-se que seja a arma de ataque preferida da Marinha e da Força Aérea”, diz Kathy Warden, diretora executiva da Northrop Grumman.

A empresa norte-americana que esperanças que o armamentos seja visto com bons olhos pelo Pentágono, o que seria importante para continuidade do desenvolvimento do míssil .


DEIXE UMA RESPOSTA