A Lufthansa anunciou hoje (08/11) que está retirando parte de seu pedido firme para o Boeing 777X.

A companhia aérea alemã tinha anteriormente 34 encomendas firmes para o 777X, mas agora alterou seu pedido para 20 encomendas firmes e 14 intenções de compra. Diminuindo seu compromisso com a nova aeronave.

“No terceiro trimestre de 2019, como parte de novos pedidos de aeronaves, os 14 pedidos do B777 foram contratualmente convertidos em opções para as quais não há mais certeza se serão exercidos no futuro”, disse a empresa em nota.

A Lufthansa está apostando em diminuir o crescimento de sua frota em uma tentativa de reduzir custos operacionais.

Esses 14 jatos nunca foram confirmados pelo conselho de supervisão da Lufthansa e, portanto, nunca foram realmente registrados nos livros da Boeing. No entanto, a companhia está se afastando de qualquer chance de um pedido adicional para o 777x.

 

Boeing 777X

O Boeing 777X conta com duas opções de aeronaves, a 777-8X é capaz de receber 350 assentos em configuração padrão de duas classes, seu alcance é de até 15000km. Já o 777-9X, a maior variante da família T7 até hoje, será capaz de receber 450 passageiros em uma configuração de duas classes, com autonomia para 13200km de voo.


O novo avião inclui a combinação de “muitas heranças do 777 e do 787”, disse Beezhold. “Fizemos a fuselagem mais larga do que a do -300ER, para assentos mais confortáveis e fileiras com até 10 assentos.”

O novo 777X exigirá menos impulso do que o -300ER porque terá uma asa mais eficiente. E essa asa é bastante longa – a envergadura do 777X chegará a 235 ‘5 “(71,8 metros). Por ser mais amplo do que os gates padrões dos aeroporto, o avião terá uma asa dobrável para reduzir a extensão para 212,7” (67,7 metros) quando em solo.

Beezhold explicou que a Boeing desenvolveu uma asa dobrável para o 777 original, mas provou ser um design excessivamente complicado, pois a parte dobrável incluía um aileron, sendo então arquivado em favor de uma asa tradicional.

O 777X tem uma “asa dobrável muito simples – o acionador da estrutura está totalmente dentro da asa”, disse Beezhold, acrescentando que as companhias aéreas queriam um projeto que exigisse pouca ou nenhuma manutenção especializada.

O 777-8X concorre diretamente com o Airbus A350-1000, enquanto o 777-9X está sozinho em sua classe de aeronave, e irá atingir uma necessidade por maior economia mas sem perder a capacidade de transporte. Até a data, o 777X acumulou 320 pedidos fixos e compromissos de seis clientes no mundo inteiro. A primeira entrega está programada para 2020.

A Boeing disse que o avião proporciona um consumo de combustível 12% menor e custos operacionais 10% menores do que os aviões concorrentes.

O primeiro voo desse 777X está previsto para 2020, da aeronave de testes que já foi montada. E a primeira entrega de uma aeronave de série está prevista para 2021.