Lufthansa Alemanha

Nesta terça-feira (30/03) a Lufthansa iniciou novamente o voo mais longo da sua história, ligando Hamburgo, na Alemanha, às Ilhas Falkland (Malvinas).

O voo LH9923 está sendo realizado com um Airbus A350-900, que fornece a autonomia ideal para essa rota. A aeronave decolou de Hamburgo às 21h59 (horário local), e tem previsão de pousar em Mount Pleasant às 08h29 desta próxima quarta-feira (31).

Para ver o rastreamento do voo Clique Aqui.

Ao todo, o avião deverá voar por mais de 13700 quilômetros entre os dois locais.

Tripulação alocada para este voo.

Cerca de 40 pesquisadores, mais uma equipe completa de tripulantes, estão neste voo da Lufthansa, que atende a uma solicitação de fretamento do Alfred Wegener Institute e do Helmholtz Center for Polar and Marine Research (AWI).

Durante o voo, os cientistas estarão coletando dados de medição que fornecerão mais informações sobre a influência do campo magnético da Terra no que diz respeito à aviação.

A Lufthansa também ficará responsável por transportar até a Alemanha os cientistas que embarcaram no primeiro voo, em janeiro deste ano, para as Ilhas Falkland (Veja Mais Clicando Aqui).

O Aeroporto de Mount Pleasant é na verdade uma base aérea, e exige procedimentos especiais.

O voo de retorno está programado para ser operado no dia 02 de abril deste ano, com decolagem da Ilha às 21h30 do dia 02 de abril, e pouso em Munique programado para 15h00 do dia 03 de abril, cumprindo o voo LH2575.

O primeiro voo de Hamburgo para as Ilhas Malvinas, realizado no final de janeiro de 2021, foi o mais longo voo de passageiros sem escalas da história da Lufthansa. O Airbus A350-900 chegou à base militar de Mount Pleasant depois de voar mais de 13.000 quilômetros, em aproximadamente 15 horas.

Desde o início de fevereiro, uma equipe de cerca de 50 pesquisadores vem coletando dados importantes sobre as correntes oceânicas, o gelo marinho e o ciclo do carbono no Oceano Antártico, que, entre outras coisas, permitem previsões climáticas confiáveis.

Rota a ser realizada pelo voo entre Hamburgo e as Ilhas Falkland.

A rota usual do voo, via Cidade do Cabo, não era viável devido à situação de infecção na África do Sul, restando apenas a rota via Ilhas Malvinas.

Afim de evitar contágio pela Covid-19, os passageiros e tripulantes realizaram uma quarentena de 14 dias antes de embarcar no voo para Mount Pleasant.