737 MAX China Southern Airlines
N509FZ, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Responsável por compor a maior frota do Boeing 737 MAX na China, a China Southern Airlines anunciou uma mudança no recebimento de novas aeronaves do modelo. 

Com isso, a operadora da China pretende receber até 2024 apenas 78 unidades do 737 MAX ao invés de 181 programados até 2024. A decisão veio após uma reunião entre executivos e investidores da China Southern, apontando as incertezas de novas entregas do MAX como o principal motivo para a revisão de frota. 

Além disso, as companhias aéreas da China ainda não retomaram as operações com o MAX, sendo que a briga diplomática e comercial entre a China e os Estados Unidos se tornou um dos maiores entraves.

A China atualmente é um dos mercados mais importantes para a Boeing fora do ocidente, o fabricante conta com cerca de 140 aeronaves MAX paradas nos Estados Unidos que deveriam ser entregues para as operadoras chinesas. 

Sendo o primeiro país a aterrar o 737 MAX após dois acidentes fatais que vitimaram, a Autoridade de Aviação Civil da China (CAAC) deu o sinal verde para o retorno operacional somente no início de dezembro do ano passado. Contudo, nenhuma companhia aérea ainda retornou as operações com o jato.

Atualmente, a China Southern Airlines possui 24 aeronaves 737 MAX 8 aterradas em sua frota. 

Com informações: AeroTime