Uma aeronave Boeing 747 operando de Heathrow, em Londres, para Guarulhos, São Paulo, por exemplo, pode conter mais de 7 mil itens e muitos deles devem ser descarregados e recarregados antes de cada voo.

No catálogo de objetos constam, precisamente, 1.737 talheres, 798 copos, 101 garrafas de 750 ml e 388 garrafas de 350ml de vinho, 350 sacos de pretzels, 78 rolos de papel higiênico, 5 kits de primeiros socorros e cerca de 800 jogos de cama, incluindo o enxoval da White Company, luxuosa marca de varejo britânica, cuja parceria com British Airways faz parte dos £600 milhões investidos nos voos de longa duração da classe executiva.

E para aqueles que se perguntam o que, além das malas dos passageiros, é embarcado no bagageiro do avião, a companhia conta: 26% é carga prioritária – produtos recém-lançados como smartphones e tablets-, 5% são de carga especializada – como animais e obras de arte-, 4% são produtos perecíveis e 3% são cargas que requerem climatização constante, como vacinas e produtos farmacêuticos.

Alguns dos embarques mais interessantes do ano foram o de Conhaque, de Bordeaux a Kuala Lampur, alface, de Los Angeles para o Reino Unido e 1,5 tonelada de brinquedos, de Londres para Sydney.

“Muitos dos nossos passageiros ficam curiosos sobre nossa operação, por isso, estamos felizes em poder mostrar um pouco dos nossos bastidores. O nosso time trabalha incansavelmente para garantir que os nossos clientes tenham uma experiência segura e agradável”, afirma Carolina Martinoli, Diretora de Marca e Experiência do Cliente, da British Airways.

Dos £4,5 bilhões previstos para investimentos nos próximos cinco anos, a empresa já realizou a instalação de WiFi de qualidade e tomadas em cada assento, novos interiores de 128 aviões de voos de longa duração e a entrega de 72 novas aeronaves. Além disso, recentemente foram incluídos no cardápio nove marcas de espumantes ingleses oferecidos aos clientes que viajam na primeira classe e World Club (uma classe intermediária).