Mandarin Airlines
Foto: CCY18999 (Creative Commons 3.0)

Baseada em Taiwan, a Mandarin Airlines decidiu antecipar a retirada do E-jet 190 da sua frota em 31 de dezembro. Inicialmente, a companhia tinha nos planos manter o Embraer 190 até meados de 2023, sendo a única operadora da Embraer em Taiwan.

Segundo informações do site CH-Aviation, a companhia taiwanesa já chegou a operar oito unidades do Embraer 190, mas desde 2016, a companhia tem devolvido unidades do jato regional, operando atualmente apenas três jatos E-190.

Com a retirada do Embraer 190, a Mandarin Airlines focará nas suas operações regionais com o ATR 72–600, além do Boeing 737–800.

Apesar da Mandarin Airlines não justificar o motivo da retirada do Embraer 190 em sua frota, é natural que empresas da China e da Ásia passem a se desfazer de jatos regionais ocidentais para investir em jatos feitos na China, a exemplo do Comac ARJ21.

Porém, o fato da Mandarin Airlines ser uma subsidiária da China Airlines, companhia nacional de Taiwan, é provável que sigam rumos distintos na atualização de frota, já que Taiwan e a China estão com as relações diplomáticas abaladas. Pois Taiwan é uma ilha separada da China por 200 km e possui um governo independente, algo que nunca agradou os chineses.

Com informações: Ch-Aviation

DEIXE UMA RESPOSTA