Foto: US Navy.

A Marinha dos EUA completou mais um voo de testes com o novo míssil antirradar Advanced Anti-Radiation Guided Missile – Extended Range (AARGM-ER), empregando um caça F/A-18F Super Hornet do esquadrão de testes VX-23 Salty Dogs. 

O voo foi realizado no dia 22 de abril em Patuxent River, Maryland, e marcou a primeira vez que o novo armamento demonstrou que poderia se comunicar com a aeronave. O Veículo de Teste de Separação (STV) utilizou seu hardware e software para facilitar o voo livre controlado. 

Em comunicado, a Marinha afirmou que deve realizar o primeiro disparo com o AARGM-ER ainda esse ano. 

“Os dados coletados a partir deste teste apoiarão a expansão dos testes de voo com AARGM-ER para o envelope de desempenho total do F/A-18 Super Hornet”, disse o Capitão Mitch Commerford, gerente de programa do escritório do programa Direct and Time Sensitive Strike (PMA- 242).

“Este voo representa uma etapa significativa na fase de desenvolvimento de engenharia e fabricação do AARGM-ER.”

O AARGM-ER na asa do F/A-18F. Foto: US Navy.

Durante o teste, o Super Hornet realizou uma série de manobras para avaliar a compatibilidade do AARGM-ER. Os pontos de teste concluídos durante este evento comprovaram a compatibilidade do transporte do míssil pelo F/A-18.

O AARGM-ER está sendo integrado no F/A-18E/F Super Hornet e EA-18G Growler, e será compatível para integração com o F-35 Lightning II.

Aproveitando o programa do AGM-88 AARGM, uma nova variante do AGM-88 HARM, o AARGM-ER terá um novo motor, aumentando ainda mais sua autonomia, além de sistemas novos. O míssil é usado em missões de Supressão de Defesas Aéreas Inimigas, contra radares em solo. 

Via Naval Air Systems Command.