Imagem: AeroVironment.

A Marinha dos Estados Unidos está planejando a aquisição de 120 drones de reconhecimento e vigilância Blackwing, fabricados pela AeroVironment. Os veículos aéreos não-tripulados serão usados em seus submarinos. 

Segundo o portal Flightglobal, é previsto que o primeiro dos 120 drones seja entregue em agosto desse ano. 

O Blackwing pode ser lançado a partir de um submarino submerso. O equipamento é inserido em um recipiente que é lançado pelo submarino. O recipiente boia até a superfície e lança o drone. 

Com pouco mais de 68cm de envergadura, o Blackwing é equipado com um motor elétrico em configuração pusher. Na frente ele carrega sensores infravermelhos e eletro-ópticos, cujos dados são transmitidos através de datalink.

Imagem: AeroVironment.

O site explica que a Marinha dos EUA tem avaliado o drone há anos. Após demonstrações em 2019 e 2020, o Blackwing teve sua capacidade operacional inicial declarada em setembro do ano passado, disse o contra-almirante Dave Goggins, oficial executivo do programa de submarinos, à revista Seapower.

A Marinha demonstrou o lançamento do Blackwing a partir do submarino nuclear de ataque rápido USS Annapolis, da Classe Los Angeles. 

Como parte desses testes, foi praticado o lançamento do drone em profundidade de periscópio e o controle do drone em “distâncias taticamente significativas – bem além da linha de visão”, disse Goggins.

“Ao fazer isso, ele foi capaz de mirar e conduzir um rápido ataque de torpedo simulado contra um navio de superfície participante, neste caso o USS Charleston, quase no alcance efetivo máximo daquele torpedo, voando o drone para obter uma solução de tiro pontual após obter o ganho inicial do sonar.”

O uso de drones para localizar e mirar em navios ajuda os submarinos a evitar a detecção e o ataque, permanecendo mais longe do adversário.

A AeroVironment não divulgou o alcance do Blackwing. No entanto, ele é baseado na munição de loiter Switchblade 300, que tem um alcance de 5,4 nm (10 km).