Reparos foram realizados depois que trincas foram encontradas na asa de um AF-1C. Foto: Comando da Força Aeronaval.

Entre 15 de junho e 20 de agosto, técnicos do Grupo Aéreo Naval de Manutenção (GAerNavMan) da Marinha do Brasil realizaram, pela primeira vez, o reparo de 3° escalão no extradorso da Wing Nose de um jato de ataque e interceptação AF-1C Skyhawk (TA-4KU), devido a trincas na asa direita da aeronave N-1022.

Durante a inspeção realizada no AF-1C, os militares encontraram trincas nas asas da aeronave. Após criteriosa avaliação do setor de engenharia, foi constatado que esse reparo poderia ser realizado por militares do GAerNavMan. Durante o processo, foi necessário moldar algumas chapas e adaptá-las para alcançar o formato ideal, bem como desenvolver ferramentas para a realização dos trabalhos. 

Foto: Comando da Força Aeronaval.

O reparo foi realizado com a colocação de um Patch externo na asa direita e o reforço de stiffners na parte interna, conforme procedimento preconizado, informa o Comando da Força Aeronaval. Embora previsto em manual, foi a primeira vez que foi realizado um reparo estrutural nessa região da Wing Nose, em nível de 3° escalão em aeronaves AF-1, incrementando, assim, a capacidade deste grupo de manutenção.

Segundo a Revista Força Aérea, o esquadrão VF-1 Falcão, unidade que emprega os jatos A-4/AF-1 a partir da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (RJ), possui seis Skyhawks, sendo quatro AF-1B monopostos (N-1001, 1008, 1011 e 1013) e dois AF-1C bipostos (1021 e 1022), devendo receber o seu último AF-1B (1004) da Embraer até o final deste ano. 

Os AF-1B Skyhawk N-1001 e N-1008.

DEIXE UMA RESPOSTA