F-5F Tiger II Marrocos
Caças F-5F Tiger II da Força Aérea Real Marroquina. Foto via @MoorishFighter

A frota de caças F-5 Tiger II da Força Aérea Real do Marrocos (RMAF) poderá ficar ainda mais forte no futuro, com a integração dos mísseis de cruzeiro Delilah. O governo marroquino está negociando a compra dos mísseis com Israel, como parte de um projeto de atualização nas suas forças armadas. 

Produzido pela Elbit Systems, o Delilah é um míssil de cruzeiro de curto alcance, capaz de atingir alvos móveis ou estacionários, em terra ou no mar, a 250 km com ogivas de 30 ou 54 kg. Ao longo dos anos, o míssil foi adaptado para uso a partir de navios, helicópteros e plataformas terrestres.

Vista frontal do míssil de cruzeiro Delilah. Foto: KGyST via Wikimedia (CC BY 3.0)

O Delilah é guiado por GPS/INS e possui um sistema eletro-óptico com sensores CCD (televisão) e infravermelho para orientação terminal, podendo ser usado de dia ou à noite em quaisquer condições climáticas. Um datalink de duas vias ainda fornece informações em tempo real aos operadores. 

Se adquiridos, estes serão os primeiros armamentos do tipo no arsenal marroquino, observa o site espanhol Defensa. A negociação sobre os mísseis ocorre num momento em que Marrocos e Israel tem se aproximado bastante.

No entanto, a venda dos Delilah ainda deve ser aprovada por Jerusalém, já que instituições de segurança do país temem que o míssil e outros armamentos sensíveis caiam nas mãos de organizações inimigas. Por outro lado, um lobby formado por judeus de origem marroquina pode estimular o acordo entre os dois países. 

Míssil delilah israel
Foto: KGyST via Wikimedia (CC BY 3.0)

Os mísseis Delilah já foram usados em combate pelos caças F-16 da Força Aérea Israelense, mas os marroquinos pretendem integrar o míssil aos seus caças Northrop F-5E/F Tiger II modernizados como parte de um segundo pacote de atualizações para o avião.

Veja mais: foto com caças F-5 “camuflados” da FAB viraliza na internet

A RMAF recebeu seus primeiros F-5 na década de 1980 e os atualizou na virada do século. Cerca de 26 caças foram modernizados pela Sogerma da França e IAI de Israel, que instalaram HUD, HOTAS, displays multifuncionais, radar FIAR Grifo F/X e integraram o pod de guerra eletrônica ativa ELT/555 da italiana Elettronica. Alguns aviões também receberam uma sonda para reabastecimento em voo.

F-5E modernizado da Força Aérea do Marrocos. Foto: @Moroccan_FAR

Em 2021, Marrocos e Israel assinaram mais uma modernização para os F-5 do país, onde as veteranas aeronaves deverão receber o radar de varredura eletrônica ativa (AESA) Elta EL/M-2052, datalink, novos displays, integração com o pod identificador/orientador LITENING e os mísseis ar-ar Derby e Python V. 

O Marrocos é um dos cerca de 12 países que atualizaram os seus F-5 de alguma forma. Enquanto nações como Brasil modernizaram as aeronaves com aviônicos de 4ª Geração e integraram novas armas, outras apenas instalaram HUDs.

Os 22 F-5E e quatro F-5F da RMAF tem como sede a Base Aérea de Meknes/Bassatine, onde são operados por três esquadrões: ERIGE (Esquadrão de Reconhecimento, Interceptação e Guerra Eletrônica), Borak e Chahine, sob comando da Ala de Caça Tigre. 

Além dos F-5, a RMAF ainda opera caças F-16 Block 52 e Dassault Mirage F1 MF2000.