Ryanair Boeing 737

Certamente o ano de 2020 abalou completamente todas as áreas, mas em especial a aviação que continua sentindo o impacto. O período ainda é de incertezas no setor até mesmo empresas como a Ryanair que possuem um modelo de negócio voltado para custos mais baixos, 

Mesmo com a demanda mais baixa, a companhia aérea low-cost anunciou a redução de suas perdas previstas referente ao ano de 2020. É importante ressaltar que devido as restrições de viagens, a Ryanair ficou alguns meses sem operar nenhum voo.

A companhia aérea divulgou anteriormente que suas perdas seriam entre € 850 milhões e € 950 milhões(entre US$ 1,01 bilhão e US$ 1,13 bilhão). Entretanto, a Ryanair emitiu um documento hoje(07) relatando que suas perdas previstas para 2020 serão de € 800 milhões a € 850 milhões (US$ 951 milhões a US$ 1,01 bilhão).

Com o novo resultado esperado, as perdas tiveram uma redução de até € 100 milhões, a companhia aérea planeja anunciar seus resultados em breve junto com a previsão para o ano de 2021.

Com a redução de voos e restrições de viagens, a Ryanair transportou em 2020 aproximadamente 27 milhões de passageiros, resultando em uma média de 2,28 milhões de passageiros mês a mês. Um ano antes essa média estava em 12,4 milhões de passageiros mês a mês.

Mesmo sem um nível de demanda alto, a Ryanair conseguiu recuperar no final do verão europeu pelo menos a metade do número de passageiros. Mas com a chegada do inverno e o agravamento da pandemia, os números caíram novamente.

Entre julho e setembro, a companhia conseguiu gerar um bom fluxo de caixa, equilibrando despesas operacionais com a receita gerada dos voos. Como a Ryanair não operou voos por pelo menos dois meses anes, não houve despesas com as operações, apenas manutenção preventiva em toda a frota, ajudando a manter a liquidez de € 3,15 bilhões (US$ 3,74 bilhões) em caixa.

A frota padronizada de 253 Boeings 737, ajudam a companhia aérea equilibrar os custos com manutenção, treinamento e operação. A empresa mantem o otimismo para o verão europeu de 2021 em retomar boa parte de suas operações, isso também está atrelado a vacinação que pode permitir que as viagens aconteçam.  

Com a chegada dos novos 737 MAX, a companhia poderá reduzir ainda mais suas despesas com as operações. O Boeing 737 MAX 200 é uma aposta da Ryanair para tornar a aeronave ainda mais rentável para a empresa.

A intenção da empresa é diminuir o custo de transporte de cada passageiro, de forma a diminuir em 20% na comparação direta com o Boeing 737-800 da companhia, que tem capacidade para 189 passageiros, mas pertence a uma geração anterior.