Um caça Mikoyan-Gurevich MiG-29 da Força Aérea da Bulgária desapareceu dos radares e perdeu comunicação via rádio por volta da 00:45 de hoje (09). A aeronave participava do exercício de tiro real Shabla 21 e voava sobre o Mar Negro quando sumiu. O treinamento foi suspenso.

Helicópteros e embarcações participam das buscas ao piloto. Fontes afirmam que o colete do piloto foi encontrado no mar. A Rádio Bulgária informou que o Primeiro-Ministro interino Stefan Yanev disse que há poucas esperanças de encontrar o piloto. Também não se sabe se o piloto ejetou do MiG-29. 

O piloto desaparecido é o major Valentin Terziev da Base Aérea Graf Ignatievo, chefe do estado-maior do esquadrão, informou o Ministério da Defesa. O caça acidentado é uma das últimas entregues no final da década de 1980 e sua vida útil expiraria em 2029-2030. A Força Aérea Búlgara opera cerca de 15 caças Mig-29. 

Nota do Ministério da Defesa da Bulgária. 

“Hoje, 9 de junho de 2021, durante a realização de uma tarefa de treinamento na área marítima da República da Bulgária, uma aeronave MiG-29 da Força Aérea Búlgara perdeu comunicação de rádio e desapareceu dos radares às 00:45.

Uma operação de busca e resgate foi lançada imediatamente e ainda está em andamento. Envolve forças e meios da Marinha, do Comando de Operações Especiais Conjuntas, da Polícia de Fronteiras e da Força Aérea.

O Ministro da Defesa Georgi Panayotov e o Almirante Chefe da Defesa Emil Eftimov estão a caminho da área do incidente.

A mídia será oportunamente informada sobre o andamento da operação de busca.
O exercício tático com fogo experimental e conjunto de combate “Shabla 21″ foi suspenso.”

Nesta semana, o portal polonês Onet informou que em meados de maio um MiG-29 polonês teria sofrido danos depois de ser atingido por tiros disparados de outro MiG-29 polonês durante um treinamento, no entanto, o Comando Geral das Forças Armadas da Polônia negou o disparo acidental. 

MiG-29 polonês.

Em nota, o Comando confirmou que “após o pouso da aeronave MiG-29, o técnico constatou danos na parte inferior da fuselagem, portanto a questão do dano foi investigada pela Comissão Estadual de Investigação de Acidentes de Aviação”, afirmando que “a aeronave MiG-29 não foi alvejada e nenhum dos soldados sofreu qualquer problema de saúde.”