A Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura (MInfra) autorizou a licitação de projetos e obras em mais dois aeroportos regionais nas regiões Nordeste e Sudeste. Serão R$ 14,7 milhões em investimentos do Governo Federal com recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC).

Os recursos vão possibilitar a elaboração dos projetos do novo aeroporto regional de Balsas/MA e a recuperação dos pavimentos do Aeroporto Regional do Vale do Aço, localizado em Santana do Paraíso, que atende à região de Ipatinga/MG. “Estamos investindo em obras e melhorias em mais de 50 aeroportos regionais para ampliar a conectividade e favorecer o desenvolvimento econômico a partir das cidades localizadas no interior do país”, disse o diretor da Investimentos da SAC/MInfra, Eduardo Bernardi.

Foto – Divulgação

No caso de Balsas/MA, trata-se de parceria do MInfra com a CODEVASF para elaboração dos projetos do novo aeroporto. Já foram desenvolvidos Estudos de Viabilidade Técnica e Estudo Preliminar. A CODEVASF vai conduzir o procedimento licitatório para contratação dos estudos, ensaios e projetos, visando a construção do novo aeroporto. Os custos estão estimados em R$ 2,4 milhões, com prazo de até 15 meses para entrega dos produtos. O edital deve ser publicado no site da empresa nas próximas semanas. O atual aeródromo foi declarado inviável para expansão, por estar imerso na malha urbana, sem possibilidade de receber operações de aeronaves de maior porte.

A respeito da licitação das obras no Aeroporto Regional do Vale do Aço, em Santana do Paraíso/MG (Ipatinga), os custos são estimados em R$ 12,3 milhões. O escopo principal é a restauração dos pavimentos flexíveis da pista de pouso e decolagem, taxiway e pátio de aeronaves. Conforme previsto no Termo de Compromisso celebrado entre o MInfra e a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais, as obras devem durar quatro meses, a partir da assinatura da ordem de serviço. O edital de licitação deverá ser publicado pelo DEER/MG nas próximas semanas.

Fonte: Ministério da Infraestrutura

DEIXE UMA RESPOSTA