Aprovada em tempo recorde para realizar voos internacionais para o Brasil, a cúpula da JetSmart esteve reunida com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, nesta quarta-feira (04/09).

A low cost pretende iniciar a operação de rotas internacionais partindo da Argentina e Chile para o Brasil, especificamente no Sul, Sudeste e Nordeste. Os bilhetes começarão a serem comercializados neste mês de setembro, de acordo com a JetSmart.

Para o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, a novidade, apresentada em primeira mão durante reunião com o Ministério do Turismo, representantes da JetSmart, da Secretaria Nacional de Aviação Civil e ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, já demonstra como a abertura ao capital estrangeiro está impulsionando a aviação brasileira.

O CEO da empresa aérea, Estuardo Ortiz, participou de reunião e falou sobre os planos de criar uma subsidiária brasileira para concorrer com a Gol, a Azul e a Latam.

“Além de mais turistas, as operações da empresa aérea vão gerar mais empregos no setor, maior concorrência no mercado de transporte aéreo e novos investimentos no país”, disse Ortiz.

Foto Via – Ministério da Infraestrutura

Na ocasião, o ministro Freitas apresentou o plano do Governo Federal como “o maior programa de concessões de ativos aeroportuários do mundo”.

Além da JetSmart, outras quatro empresas vieram para o País desde a desregulação da franquia de bagagem. Três empresas estrangeiras low cost já chegaram ao país: a europeia Norwegian, a chilena Sky Airlines e a argentina Flybondi.

A JetSmart quer dobrar sua frota de aeronaves Airbus A320 até abril de 2020. A companhia chilena tem uma encomenda para 56 aviões A320neo e 14 A321neo.

Recentemente a companhia anunciou uma expansão no mercado argentino, para os próximos meses, e no Brasil deve concorrer diretamente com a Sky e a Flybondi nessas rotas de baixo custo para a Argentina e o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA