Nesta segunda-feira (15/07) o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, deu uma nova perspectiva sobre a chegada de novas empresas de aviação no país, atuando em voos regulares.

A fala do ministro é derivada de um esforço do governo que resultou na abertura do capital estrangeiro para companhias aéreas que realizam voos no Brasil, em junho deste ano.

De acordo com Tarcísio, cerca de 4 empresas estão interessadas no mercado de aviação do Brasil, algumas querem operar como companhias Low Fare, como o Grupo Globalia.

“Temos empresas se estabelecendo no Brasil, com autorização na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas até serem operacionais há um caminho, que deve levar entre seis e oito meses”, disse Tarcísio de Freitas, destacando que a entrada das empresas pode ser a partir de setembro.

Ao mesmo tempo o ministro disse que a mais interessada no momento, o braço de aviação do Grupo Globalia, só deve começar a voar no segundo semestre de 2020, mas a empresa já pode participar da distribuição de slots da Avianca.

O ministro quer atuar na diminuição do preço do querosene, utilizado nas aeronaves, através de uma retração dos impostos cobrados pelo insumo. Para ele, essa é a melhor forma de estímulo do mercado de aviação nacional.