Missão Maranhão integra Marinha, Exército e Aeronáutica no combate à COVID-19

A Força Aérea Brasileira (FAB) participa da Missão Maranhão, uma ação interministerial com o objetivo de levar equipamentos de proteção individual (EPI), testes de COVID-19, medicamentos e profissionais de saúde para comunidades indígenas do estado do Maranhão.

A ação, realizada pelo Ministério da Defesa juntamente com o Ministério da Saúde e o Ministério da Justiça, integra a Marinha, o Exército e a Aeronáutica e ocorre em três fases, no período de 14 de setembro a 05 de outubro, visando a atender mais de 30 mil índios.

Para oferecer atendimentos especializados aos indígenas, no combate ao novo Coronavírus, médicos e enfermeiros das três Forças Armadas foram destacados dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Maranhão.

Na primeira fase da Missão, que ocorre de 14 a 21 de setembro, esses profissionais de saúde prestam atendimentos a populações das Terras Indígenas nos Polos Bases de Barra do Corda. 

A segunda ocorre no período de 21 a 28 de setembro e seguirá para os municípios de Santa Inês e Zé Doca. A terceira, de 28 de setembro a 5 de outubro, vai atender populações dos municípios de Grajaú, Arame e Amarante.

Nos dois primeiros dias da Missão Maranhão, uma aeronave H-36 Caracal, pertencente ao Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1º/8º GAV) – Esquadrão Falcão – transportou 38 profissionais de saúde para a Aldeia Escalvado, onde vivem índios da etnia Canela. Nos próximos dias, a previsão é atender moradores das aldeias de Porquinhos, Santa Maria e Três Irmãos.

“Estamos transportando militares da área de saúde da base em Imperatriz para as aldeias, que ficam em terrenos não preparados, de difícil acesso. Se o transporte ocorresse por via terrestre, a ação ia demorar muito”, informou o Capitão Aviador Andrey Araújo Moulin, do Esquadrão Falcão.


A Tenente Médica Roseana Beltrão da Silva Sovano Guimarães, pediatra do Hospital de Aeronáutica de Belém (PA), conta que é muito grata por fazer parte da Força Aérea e ter a chance de ajudar o País, levando saúde à população, em especial às crianças indígenas.

“Levar um pouco de assistência é gratificante. Estamos sentindo também a gratidão por parte deles, em todos os lugares fomos bem recepcionados, a população nos recebeu com cânticos e danças típicas. Fiquei encantada. Meus olhos enchem de lágrimas diante de uma cultura tão rica”, revela a militar.

Além dos militares de saúde da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, profissionais da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) também integram a equipe, formada por clínicos gerais, pediatras, ginecologistas, um infectologista, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Essa ação interministerial no estado do Maranhão é a 15ª missão voltada para comunidades indígenas durante a Operação COVID-19.

 

Operação COVID-19

A Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa, mobiliza militares por todo o Brasil. Homens e mulheres das Forças Armadas atuam no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus, em apoio à população.

As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, distribuição de kits de alimentos para pessoas de baixa renda, entre outras.

Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em 10 Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças (Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira), que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

Acompanhe a página especial sobre a atuação da FAB na Operação COVID-19.

 

Via – Força Aérea Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA