Mitsubishi pode paralisar desenvolvimento de avião concorrente da Embraer

Mitsubishi

Anteriormente a Mitsubishi já estava planejando diminuir o desenvolvimento do seu programa SpaceJet, congelando momentaneamente o projeto de uma variante.

No entanto agora a Mitsubishi parece avaliar por completo o desenvolvimento do SpaceJet, e este corre o risco de ter até mesmo seu desenvolvimento congelado.

De acordo com postagens da mídia japonesa, o programa para criar um avião concorrente do Embraer E-Jet E2 pode ser totalmente paralisado. Já em nota nesta sexta-feira, a Mitsubishi afirma que “várias possibilidades” estão sendo consideradas.

O Kyodo News relatou em 22 de outubro que a MHI “está considerando reduzir drasticamente a equipe e o orçamento para desenvolver o primeiro jato regional de fabricação nacional, congelando efetivamente a operação devido a uma queda na demanda causada pela nova pandemia de coronavírus”.

Um comunicado oficial da Mitsubishi deverá ser emitido no dia 30 de outubro, para esclarecer a situação e as decisões da empresa.

Anteriormente a Mitsubishi também suspendeu o desenvolvimento do seu M100, de 76 assentos. Esta era uma das principais aeronaves do programa SpaceJet, visto que foi totalmente produzida com foco no mercado de aviação regional dos EUA. Agora a empresa japonesa pode pelo menos diminuir o investimento na variante M90.

O desenvolvimento de todas as variantes da família SpaceJet já estava em atraso, e com essas decisões da Mitsubishi o programa de certificação dessas aeronaves deve sofrer um novo atraso.


A MHI disse que o impacto do coronavírus, que atingiu a empresa em março e abril, a forçou a suspender os voos de teste de certificação de tipo em suas instalações de Moses Lake nos EUA. 

O primeiro voo de um protótipo do M90 adequado para certificação, com todas as atualizações, precisou ser adiado como resultado do surto.

Anteriormente a primeira entrega de uma aeronave M90 deveria ocorrer em meados de 2021 para a All Nippon Airways, mas este prazo parece cada vez mais impossível de ser atingido. Vale ressaltar que anteriormente a MHI adiou por diversas vezes a primeira entrega do M90.

Existem agora cerca de 163 pedidos para a aeronave regional que suporta até 100 passageiros a bordo, com outras 124 opções de compra. O projeto é visto como um grande triunfo para o retorno do Japão ao mercado de aviões comerciais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA