Mitsubishi quer retomar voos de testes com o novo SpaceJet

Mitsubishi

Pouco depois de realizar o primeiro voo do SpaceJet já como M90, a Mitsubishi precisou paralisar o desenvolvimento da aeronave, devido ao lockdown causado pela pandemia de COVID-19.

No entanto, a fabricante japonesa quer retomar o desenvolvimento da sua aeronave, após o levantamento das restrições.

A Mitsubishi agora precisará se reorganizar, visto que fez diversos cortes para evitar uma grande queima de caixa durante a pandemia. A empresa fechou a sua base de testes, em Moses Lake, nos EUA (WA), e também demitiu diversos funcionários.

“Depois de concluirmos nossa reestruturação, reconstruiremos o plano para obter a certificação de tipo. Quaisquer mudanças de pessoal feitas como parte de nossa reorganização visam construir uma estrutura organizacional apropriada para apoiar nossa nova direção e foco, e para realinhar recursos para nos ajudar a suportar esta crise”, disse a Mitsubishi Aircraft.

A reorganização deve perdurar durante alguns meses, e pode possibilitar que o voo de retorno seja realizado até o final de 2020. Até o momento cerca de 3900 horas de voo foram realizadas pelos protótipos do M90, anteriormente conhecido como MRJ90.

A Mitsubishi Aircraft esperava certificar o M90 até o final de 2021, mas agora o projeto deve sofrer um novo atraso, após a reorganização financeira da empresa. Uma nova previsão para a certificação não foi divulgada pela Mitsubishi, que por enquanto aguarda a sua reestruturação.

Existem agora cerca de 163 pedidos para a aeronave regional que suporta até 100 passageiros a bordo, com outras 124 opções de compra. O projeto é visto como um grande triunfo para o retorno do Japão ao mercado de aviões comerciais.


Anteriormente a Mitsubishi também suspendeu o desenvolvimento do seu M100, de 76 assentos. Esta era uma das principais aeronaves do programa SpaceJet, visto que foi totalmente produzida com foco no mercado de aviação regional dos EUA.

 

DEIXE UMA RESPOSTA