Mitsubishi vai analisar continuidade do programa SpaceJet

A Mitsubishi declarou que vai avaliar totalmente o programa SpaceJet, onde está desenvolvendo um jato regional, e ainda disse que planeja reduzir pela metade o orçamento deste programa em 2020 e 2021, para US$ 558 milhões.

Em sua apresentação dos resultados do ano inteiro, o MHI afirma que está “estabelecendo um nível adequado de orçamento” para o programa SpaceJet no novo exercício financeiro.

A Mitsubishi Aircraft também deve avaliar a continuidade do desenvolvimento de uma aeronave de 76 assentos, lançada em 2019 e direcionada exatamente para o mercado norte-americano.

Sobre o M100, a variante de maior tamanho, equivalente ao E175-E2, a Mitsubishi disse que “considerando o estado da aviação global, foi decidido reconsiderar o processo do estudo de viabilidade do SpaceJet M100”. 

Desta forma a Mitsubishi deve investir somente na variante M90 por enquanto, que tem capacidade máxima de 90 passageiros, equivalente ao E190-E2.

Ao mesmo tempo, a Mitsubishi Aircraft tenta minimizar os prejuízos durante a crise, após ter adquirido o programa CRJ da Bombardier.

O desenvolvimento de todas as variantes da família SpaceJet já estava em atraso, e com essas decisões da Mitsubishi o programa de certificação dessas aeronaves deve sofrer um novo atraso.


A MHI disse que o impacto do coronavírus, que atingiu a empresa em março e abril, a forçou a suspender os voos de teste de certificação de tipo em suas instalações de Moses Lake nos EUA. 

O primeiro voo de um protótipo do M90 adequado para certificação, com todas as atualizações, precisou ser adiado como resultado do surto.

Anteriormente a primeira entrega de uma aeronave M90 deveria ocorrer em meados de 2021 para a All Nippon Airways. Vale ressaltar que anteriormente a MHI adiou por diversas vezes a primeira entrega do M90.

 

DEIXE UMA RESPOSTA