Primeiro Ministro da Inglaterra, Boris Johnson em vista à Fabrica do Futuro da BAE. Ao fundo, um mock-up do tempest pode ser visto com os cocares da RAF e da AMI. Foto: Team Tempest via Twitter.

Na semana passada, durante uma visita do Primeiro-ministro da Inglaterra, Boris Johnson, um mock-up do caça de sexta geração Tempest foi apresentado com um cocar de baixa visibilidade (low-viz) da Força Aérea Italiana (Aeronautica Militare – AMI). 

O cocar, também chamado de roundel, foi colocado ao lado do cocar da RAF, que os mock-ups do Tempest já vem ostentando. A Itália, junto com a Suécia, é parceira do programa Tempest, que visa o desenvolvimento de um caça de sexta geração para substituir os Eurofighter Typhoon da Itália e da Inglaterra e os Saab Gripen suecos. 

De acordo com o The Aviationistos três países assinaram um memorando de entendimento em dezembro de 2020, prevendo os trabalhos cooperativos de pesquisa, desenvolvimento e concepção do novo caça. 

Michael Christie, diretor do projeto FCAS (Future Combat Aircraft System) na BAE, disse que as conversas com a Saab para a definição dos trabalhos colaborativos foram extremamente bem-sucedidas. Por isso, é de se estranhar que o cocar sueco não tenha sido aplicado ao mock-up da aeronave.

Cocar da Força Aérea Sueca.

Durante a visita, o Primeiro-ministro conheceu as instalações onde o caça está sendo desenvolvido. Ele destacou que o governo está podendo financiar o Tempest FCAS graças aos enormes investimentos de defesa, os maiores desde o fim da Guerra Fria. 

De acordo com Johnson, este é um “grande momento” para a indústria de defesa e o governo teve que tomar algumas decisões difíceis e caras para investir em tecnologia do século 21 e modernizar as forças armadas para torná-las mais letais e eficazes em todo o mundo, ao mesmo tempo tornando-se mais valioso para os aliados do Reino Unido e mais desencorajador para os adversários.