#Paris Airshow 2019

Os motores CFM 56, fabricados pela CFM International, uma joint-venture entre a GE Aviation e a Safran, ultrapassaram recentemente a marca de 1 bilhão de horas em voo.

“Eu sei que parece loucura, mas acabamos de passar 1 bilhão de horas de vôo do motor na frota do CFM56”, disse o presidente e CEO da CFM, Gael Meheust. “Para descobrir o que isso significa, eu o converti em anos – é como se um motor estivesse funcionando há 115.000 anos.”

O confiável, sólido e versátil motor desenvolvido pela CFM está em serviço desde 1982, curiosamente ele equipou primeiramente uma versão do DC-8 com motores turbofan de alto by-pass, depois começou a fazer sucesso na família 737 Classic, e no Airbus A320.

A CFM atingiu dois marcos principais de entrega do CFM56 neste ano. No início de 2019, a fabricante entregou o 10000º CFM56-5 à Airbus, enquanto o 15000º motor CFM56 para a Boeing foi entregue em abril.

O CFM 56 também foi adaptado para aviões militares, como o E-3 e o KC/RC-135, como forma de re-motorizar o Boeing 707.

A CFM já produziu mais de 30000 motores CFM 56, e cerca de 28000 estão em atividade atualmente, através de aeronaves comerciais e militares.

Enquanto isso, a CFM vai diminuindo a importância do CFM 56 na sua linha de fabricação. O último CFM 56 para o 737 NG foi entregue em maio, a empresa continuará fazendo peças de reposição, mas não deve entregar novos motores para esse avião.

O último motor CFM56-5B para a família Airbus A320, deverá ser entregue em maio de 2020.

A CFM afirma que tentará manter uma produção em baixo volume até meados de 2020 para atender ao mercado de aviões militares, a produção de peças de reposição continuará até 2045.