NASA Helicóptero Ingenuity Marte
Foto: Ilustração por NASA/JPL

O helicóptero marciano Ingenuity está sendo um sucesso em sua missão no Planeta Vermelho. E por este motivo, a NASA está apostando agora em enviar mais dois veículos de asas rotativas para Marte.

De acordo com a agência, os novos helicópteros devem auxiliar o rover marciano Perseverance, que será responsável por colher amostras do solo de Marte, que serão transportadas até o nosso planeta por outra nave. A missão está programada para 2031, e será realizada em parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA).

Inicialmente a NASA diz que os helicópteros serão uma opção de backup do rover marciano, que irá coletar amostras, mas também prova que a agência planeja utilizar mais veículos aéreos em Marte, após o sucesso dos voos do Ingenuity.

NASA
Foto: NASA/JPL

Essa foi primeira aeronave a voar em Marte e tem propulsão totalmente elétrica, alimentada por algumas baterias e um painel solar de pequenas dimensões. O Ingenuity tem 49 centímetros de altura e 1,8 kg de peso total.

Os helicópteros serão semelhantes ao Ingenuity em termos de tamanho e massa, mas com duas diferenças principais, disse o gerente do programa MSR da NASA, Richard Cook. 

“Haverá pernas de pouso que incluem, na parte inferior delas, rodas de mobilidade”, explicou Cook, dizendo que essa nova capacidade permitirá que os helicópteros “atravessem a superfície”. Um mini-braço robótico em cada uma das naves permitirá que os drones peguem os tubos de amostra que o Perseverance deixará para trás, se necessário.

Os helicópteros então devem se aproximar do rover, e outro braço robótico coletará as amostras. Um dos destaques é que os dois novos helicópteros serão até cinco vezes mais rápidos, na comparação com o Ingenuity.

A nova missão deverá ter um custo total de US$ 7 bilhões, incluindo uma nave de retorno à Terra com as amostras e os dois helicópteros. A meta é coletar amostras do solo na cratera Jezero, que já foi delta de um antigo rio, quando Marte ainda tinha água líquida em sua superfície. Pelas características, esse solo pode conter traços de antigas bactérias que habitaram o planeta vermelho.

A ESA e a NASA planejam iniciar a ambiciosa missão com o lançamento em 2030 ou 2031, e retorno das amostras para o nosso planeta até 2033.