Itapemirim ITA
Foto: Gabriel Benevides/Aeroflap

A ITA Transportes Aéreos continuará com a administração de Sidnei Piva, após o empresário Galeb Baufaker Junior não prosseguir com o processo de compra da aérea, por um montante de R$ 180 milhões em dívida que a empresa tem atualmente.

De acordo com uma publicação do O Globo, o empresário que tem base em Brasília desistiu do negócio formalmente, devido ao bloqueio de movimentações do patrimônio e empresas de Sidnei Piva, que proíbe também a venda do braço aéreo do Grupo Itapemirim.

Desta forma a Baufaker Consulting deixa por enquanto os seus interesses no setor de aviação, mas disse que após Assembleia dos Credores, e outras decisões judiciais, pode voltar a negociar o CNPJ da ITA com Sidnei.

Galeb ressaltou anteriormente que planejava administrar a nova companhia aérea com “pé no chão” e sem as loucuras de Sidnei. O planejamento de 50 aviões na frota é para depois de 15 anos operando voos, não nos primeiros 12 meses, ressaltou Caleb.

A ITA original, fundada por Sidnei e o Grupo Itapemirim, encerrou as suas operações repentinamente em dezembro de 2021, deixando vários clientes sem a devida assistência. Já o interesse de Galeb pela ITA foi declarado pelo CEO da aérea em 13 de abril, levando a uma reação judicial em cadeia para impedir o repasse da empresa, incluindo o bloqueio dos bens de Sidnei.