Depois de demonstrar interesse em fazer voos internacionais para o Brasil, partindo da Europa, a Norwegian agora quer fazer o mesmo movimento que realizou na Argentina, criar uma companhia para fazer voos domésticos no Brasil.

Essa notícia foi propagada pela Charlotte Jacobsson, diretora de Comunicação e Relações Públicas da Norwegian, depois de uma reunião com o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz, na Suécia.

Porém essa operação da Norwegian no Brasil em voos domésticos só será viabilizada de o governo aprovar a abertura de 100% para capital estrangeiro, em vigor para as companhias aéreas.

Mas a companhia já disse que espera operar como uma tradicional Low Cost europeia, possibilitando voos mais baratos.

A companhia também conversou com o secretário de Turismo do Ceará, que demonstrou interesse em diminuir o ICMS no combustível (QAV) para atrair um possível hub da empresa no Nordeste. A isenção de imposto para os serviços ligados à aviação e combustíveis permite uma tarifa menor para voos partindo do Hub, e isso logicamente movimenta o turismo do Estado.

O ministro do Turismo também demonstrou muito interesse na entrada da Norwegian como uma empresa que fortaleceria o turismo, ao diminuir o custo total de uma viagem.

Agora a decisão de abrir o capital das companhias aéreas fica na decisão do Congresso Nacional, e depois do Presidente da República. A última movimentação sobre esse assunto ocorreu em março deste ano, quando a Câmara dos Deputados aprovou o projeto por 290 votos a favor, com 57 contra.

Outra proposta corrente é estabelecer um valor de ICMS máximo para o Querosene de Aviação (QAV), em 12% para todos os estados, como forma de diminuir o preço total do combustível para as companhias aéreas.