A Ryanair precisará cancelar 300 voos por dia, entre os dias 25 e 26 de julho, totalizando 600 cancelamento totais, devido a uma greve de tripulantes de cabine na Bélgica, Espanha e Portugal.

Esse movimento de greve já é o segundo neste mês para a Ryanair, o primeiro envolveu um sindicato de tripulantes no Reino Unido, que não aceitaram as regras irlandesas impostas pela Ryanair.

Dos 430000 passageiros que a Ryanair transportará em voos a partir desses países, 50 mil foram afetados, e já foram contactados pela companhia para o reembolso da passagem ou remarcação da mesma.

Os tripulantes de cabine da companhia exigem melhores condições de remuneração e trabalho, de acordo com um sindicato que une a ação dos trabalhadores. A companhia caracterizou essa greve como “injustificada”, e disse que não vai procurar um diálogo com os tripulantes.

A Associação de Pilotos de Aviação Irlandesa (IALPA) também firmou dois dias de greve a partir de 24 de julho, com validade para alguns voos partindo da Irlanda e do Reino Unido.