O New York Times divulgou novos vídeos do acidente com o voo 752 da Ukraine International Airlines, onde um 737-800 da companhia com 176 pessoas a bordo foi abatido por um míssil do Irã.

O vídeo mostra dois mísseis sendo lançados, sendo que ambos atingiram a aeronave da Ukraine. Todos os mísseis pertenciam a uma bateria anti-aérea da Guarda Revolucionária do Irã, situados curiosamente à 13 quilômetros do Aeroporto de Teerã.

Veja mais no vídeo abaixo:

O Times confirmou que o novo vídeo foi filmado por uma câmera no telhado de um prédio perto da vila de Bidkaneh, a 6,5 km do local de lançamento dos mísseis.

O vídeo mostra o Boeing 737 sendo atingido pelos dois mísseis. No primeiro o piloto altera a rota, e tenta retornar ao aeroporto, e no segundo já podemos ver segundos depois o avião pegando fogo e caindo rumo ao solo.

Dados apontam que no impacto com o primeiro míssil o avião deixou de emitir dados de transponder, como a localização.

Após muita suspeita internacional, o Irã assumiu a autoria de mais um atentado neste último sábado, 11 de janeiro de 2020, e declarou que lançou os mísseis “acidentalmente”.


Destroços encontrados em solo apontam para uma ogiva do míssil russo terra-ar Tor 9K331, que tem a característica de explodir a uma distancia entre 10 a 20 metros do alvo, causando danos por dispersão de fragmentos.

O voo PS752 transportava 167 passageiros e 9 tripulantes a bordo, a aeronave Boeing 737-800 da Ukraine Internacional Airlines cumpria a rota entre Teerã e Kiev.

Oitenta e dois iranianos, 63 canadenses e 11 ucranianos morreram no acidente, que ocorreu entre as cidades de Parand e Shahriar. Também havia 10 suecos, quatro afegãos, três alemães e três britânicos entre as vítimas.

Somente oito dos canadenses do voo não tinham dupla-nacionalidade com o Irã, ou seja, não eram iranianos.

A aeronave envolvida, de matrícula UR-PSR, tinha apenas três anos de uso, de acordo com dados do site Air Fleets.

 

DEIXE UMA RESPOSTA