Em quase um mês de operações emergenciais, as Forças Armadas entregaram 3,8 toneladas de medicamentos ao Amazonas. Uma ampla estrutura logística permite ao Ministério da Defesa apoiar o estado no enfrentamento a pandemia de Covid-19.

As ações emergenciais de socorro aos amazonenses iniciaram no dia 08 de janeiro e prosseguem enquanto houver demanda. Durante operação de escolta à balsa que transporta tanque de oxigênio, Navio-patrulha, da Marinha, resgatou, nesta quarta-feira (03), três náufragos que ficaram à deriva por mais de três horas. As vítimas estavam nas proximidades do município de Santarém-PA.

O Navio-Patrulha saiu de Belém (PA), no dia 30 de janeiro, e faz a escolta da balsa que transporta o tanque com 90 mil m³ de oxigênio líquido que abastecerá hospitais na cidade de Manaus (AM). O equipamento está previsto chegar à capital no fim dessa semana.

Já na terça-feira (02), aeronaves da Força Aérea Brasileira transportaram mais uma usina de produção de oxigênio para o Amazonas. O avião C-130 partiu de Guarulhos, em São Paulo. No mesmo dia, dois voos foram realizados para o transporte de um tanque de oxigênio líquido e um isocontainer e outros dois deslocamentos de equipes de saúde. As aeronaves C-105 e C-98, foram responsáveis por levar os profissionais para o município de São Joaquim (AM) para a vacinação de comunidades indígenas e para Carauari (AM) com o objetivo de prestar apoio a unidades de saúde do interior.

Até o momento, o sistema de saúde amazonense recebeu 18 usinas de produção de oxigênio, 332 tanques de oxigênio líquido, além de 4.306 cilindros e 57 respiradores. Os voos da FAB somam cerca de 1150 horas de deslocamento com o transporte de 1213 toneladas de carga.

 

Fonte: Ministério da Defesa
Fotos: Divulgação