No último dia 25 de julho um Airbus A220-300 da Swiss, de matrícula HB-JCM, sofreu uma falha de motor enquanto realizava um voo de Genebra, na Suíça, para Heathrow, em Londres.

A tripulação decidiu desligar o motor, e fazer um pouso de emergência em Paris, na França, e desde então esse incidente com o motor Pratt & Whitney PW1524G começou a ser investigado por autoridades locais.

Um passageiro relatou que o motor emitiu um estrondo e chamas, logo depois a tripulação desviou para realizar um pouso em Paris.

E no último dia 09 de agosto o órgão de investigação da França (BEA), divulgou informações preliminares sobre o problema apresentado pela aeronave.

O órgão disse que a investigação apontou uma falha no motor da asa esquerda, durante o regime de subida para o nível de cruzeiro (32000 pés), uma análise após o voo revelou que o estágio 1 do rotor do compressor de baixa pressão estava faltando no motor.

O BEA emitiu um comunicado, solicitando que testemunhas entreguem peças do motor localizadas em uma área desocupada perto das cidades de Perrigny-sur-Armancon e Cry.

O BEA afirma que as peças do compressor em falta são feitas de titânio, e medem menos de 30 centímetros em ambos os lados. As peças podem ser “muito afiadas” e devem ser manuseadas com cuidado, a localização da peça deverá ser divulgada.


Alguns componentes já foram recolhidos pela equipe de investigação, e podem apresentar problemas de desgaste prematuro do motor Pratt & Whitney.

A aeronave de matrícula HB-JCM foi entregue à companhia Swiss em junho de 2018.