OTAN/Divulgação.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) reagiu hoje (25) após ameaças da Rússia contra Suécia e Finlândia, países que desejam fazer parte da Aliança Militar. Em mais uma escalada das tensões na Europa, a Organização reforçou seu apoio à Ucrânia e disse que ativou sua força de resposta (NRF) para defender o território da aliança. 

Após o início dos combates na quinta-feira (24), Helsinque e Estocolmo voltaram a sinalizar seu desejo de adesão à OTAN. Porém, a a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, respondeu dizendo que haverá retaliações se as duas nações se juntarem à Aliança liderada por Washington.

Um dos principais motivos para a atual guerra é que a Ucrânia estava cada vez mais se aproximando do Ocidente, e também estava querendo se juntar à OTAN. 

Após reforçar sua presença nos países do leste europeu, com o envio de mais caças, tropas e helicópteros, os líderes de Estados membros se reuniram de forma online nesta sexta-feira. Representantes da Finlândia e Suécia também participaram da reunião, onde foram discutidos os próximos passos da Aliança em relação à guerra entre Rússia e Ucrânia.

Em comunicado, a OTAN disse que estará desdobrando elementos da NATO Response Force em solo, no mar e no ar para defender a integridade das fronteiras da aliança.

A OTAN também reforçou o apoio à Ucrânia, que recebeu mais mísseis antitanque NLAW e deve receber sistemas de defesa antiaérea. Ao mesmo tempo, tropas russas vão avançando sobre Kiev, com objetivo de derrubar o governo do presidente Volodymyr Zelensky, que ainda lidera a nação a partir da capital. Informações mais recentes dão conta de que a Rússia atacou uma usina elétrica de Kiev, deixando parte da cidade às escuras. 

https://twitter.com/DefenceU/status/1497284034661007361

“Desdobramos forças terrestres e aéreas defensivas na parte oriental da Aliança e meios marítimos em toda a área da OTAN. Ativámos os planos de defesa da OTAN para nos prepararmos para responder a uma série de contingências e garantir o território da Aliança, inclusive recorrendo às nossas forças de resposta. Agora estamos fazendo significativos desdobramentos de forças defensivas adicionais para a parte leste da Aliança.”

Além do comunicado, o Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, deu uma entrevista coletiva nesta tarde na sede da Aliança em Bruxelas (Bélgica), onde fez duras críticas à Rússia. 

“A paz no continente europeu foi fundamentalmente abalada. O mundo responsabilizará a Rússia, assim como a Bielorrússia, por suas ações. Apelamos a todos os Estados para que condenem sem reservas este ataque inconcebível.”

 “A Rússia rasgou acordos que eram feitos antes para poder manter a paz no mundo todo. A guerra contra a Ucrânia não vai fazer a Rússia ser mais respeitada no mundo”.

Além disso, Stoltenberg reforçou que a Aliança tem mais de 100 caças em prontidão de alerta operando em 30 localizações diferentes, mais de 120 navios incluindo três grupos de ataque de porta-aviões. Estados Unidos, Canadá e os aliados na Europa enviaram milhares de tropas para a porção oriental da aliança.