Decolagem de um MiG-31 Foxhound. Autor desconhecido.

Nesta quarta-feira (26), um avião de patrulha-marítima P-3C Orion da Força Aérea Real Norueguesa (RNoAF) foi interceptado sobre o Mar de Barents por um caça MiG-31 Foxhound da Frota do Norte da Força Aérea Russa. 

Segundo a agência russa TASS, a assessoria de imprensa da Frota do Norte informou que um alvo não identificado foi detectado se aproximando da fronteira estadual. Um MiG-31 das forças de alerta de reação rápida de defesa aérea da Frota do Norte foi enviado. 

“A tripulação do caça russo identificou o alvo aéreo como uma aeronave de patrulha marítima P-3C Orion da Força Aérea Norueguesa e acompanhou-o sobre o Mar de Barents”, diz o comunicado.

P-3C Orion da Força Aérea Real Norueguesa. Foto: Thomas Nilsen via The Barents Observer.

A assessoria enfatizou que o P-3 norueguês não foi autorizado a violar a fronteira do estado russo. Depois que o avião militar estrangeiro se afastou da fronteira do estado russo, o caça MiG-31 retornou em segurança ao seu campo de aviação de origem, disse. “O caça russo realizou seu voo em estrito cumprimento das regras internacionais de uso do espaço aéreo”, frisou a assessoria de imprensa da Frota do Norte. 

Em agosto do ano passado a mesma situação ocorreu, enquanto que em abril de 2021 um avião de inteligência americano foi interceptado e acompanhado por um MiG-31 sobre o Oceano Pacífico. 

O Mikoyan-Gurevich MiG-31 Foxhound é um caça-interceptador de alta velocidade, desenvolvido como sucessor do MiG-25 Foxbat. O jato pode chegar a 3000 Km/h, carregando mísseis ar-ar de curto e longo-alcance, podendo empregar também o míssil de cruzeiro hipersônico Kinzhal. 

Já o P-3 Orion é uma aeronave de vigilância e patrulha marítima, baseado no Lockheed L-188 Electra. A RNoAF tem cerca de seis aeronaves desse modelo em serviço, já tendo adquirido cinco aviões Boeing P-8 Poseidon para substituir os antigos turboélices. O Orion ainda está em operação em vários países, inclusive o Brasil.