Mais sete pacientes da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), de Manaus (AM), foram transportadas nesta terça-feira (23), ao Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Rio de Janeiro, em uma aeronave C-99, da Força Aérea Brasileira (FAB). 

O avião decolou da Ala 8 às 10h45 (horário de Brasília) e pousou na Base Aérea do Galeão, às 15h35.

A atuação da Força Aérea ocorreu por meio da parceria entre o Governo Federal, Governo do Amazonas, Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e o INCA, e visa minimizar os impactos no sistema de saúde, em decorrência da COVID-19.

Em 29 de janeiro, oito mulheres também seguiram para o Rio de Janeiro, a bordo da aeronave C-97 Brasília, do Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA), para o tratamento.

Já em 9 de fevereiro, outras oito foram transportadas, de C-105 Amazonas, do Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1º/15º GAV) – Esquadrão Onça,  para o mesmo destino. Assim, a FAB já atuou na transferência de 23 mulheres.

Para o piloto da aeronave C-99, do Primeiro Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (1º/2º GT) – Esquadrão Condor, Capitão Aviador Renan Herbert Picorelli Walter, cumprir esta missão foi motivo de satisfação, especialmente por poder auxiliar as pacientes.

“Colaborar com nosso povo amigo do Amazonas, é um orgulho. Esperamos que a situação seja normalizada e a vida de todos seja normalizada diante de toda essa pandemia que enfrentamos”, destaca.


 

Missão de solidariedade

A responsável pelo Serviço de Mastologista da Fundação Cecon, a médica Hilka Espírito Santos explica que as pacientes fariam, em Manaus, a cirurgia. Porém, em razão das demandas hospitalares para pacientes com o novo Coronavírus, houve a necessidade da transferência.

“Foi uma missão de solidariedade em relação a nós do Amazonas, em especial à Fundação. Na verdade, foi um ato para salvar vidas no momento que precisava, pois para o paciente oncológico, o tempo é muito importante e não pode esperar”, comenta, destacando que todas as pacientes, antes do embarque, fizeram os testes para COVID-19, os quais acusaram negativo.

Ao chegarem no INCA, repetirão os procedimentos. “O objetivo é evitar a disseminação da nova cepa do vírus”, alertou.

A paciente Maria Socorro da Costa Pinho comentou sobre a viagem, de Manaus ao Rio de Janeiro.

“Foi um voo tranquilo, graças a Deus. Uma viagem tranquila, onde fomos muito bem atendidas”, disse.

 

Via: Força Aérea Brasileira